Fernando Manuel Oliveira Pinto | poema #05

PÉS DE PAPOILA

Lábios pintados
as pétalas vermelhas
da papoila, beijos soprados
 
por moças airosas 
em prados primaveris.
Sorris, quando arregaço as mangas da camisa 
azul, aos quadrados, e arranco, a eito, 
milhares de pés de papoila branca à paisagem. 
(Pobres poetas opiómanos, cérebros entorpecidos).
Exangue, permites que repouse em teu regaço.
Fez-se silêncio no teu colo. Sono onírico. Éolo 
sopra no seio das searas... No teu peito, moçoila, 
musa, pululam pétalas de papoila-brava. 

Poema de Fernando M. Oliveira Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário