Fernando Manuel Oliveira Pinto | poema #04

MARIA DO MAR

Maria,
sempre que o coração lhe pedia,
fugia, a sete pés,
para junto do mar.

Ficava maravilhada
com o cavalgar das ondas,
com a coreografia dos revérberos,
com os matizes dos céus crepusculares...

Seus olhitos, seixos redondos,
pulavam pela praia pejada de pessoas
e piscavam como estrelas
brincando na poalha cósmica.

Poema de Fernando M. Oliveira Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário